Work Fire

Entre em contato

(11) 2468-4088

O que é AVCB, e qual a sua validade?

O AVCB é a sigla de Auto de Vistoria de Corpo de Bombeiros, que garantem que as instalações vistoriadas estão em condição de uso comercial ou residencial.  A validade do AVCB normalmente é de um ano, podendo ser obtido com prazo superior ou inferior dependendo do nível de periculosidade das atividades do local vistoriado e/ou das normas vigentes do Estado da Federação.  A Licença de Funcionamento ou de Habitação de um local depende do AVCB estar válido. Para os locais com exigência de formação da Brigada de Incêndio no processo de vistoria é solicitado o Atestado de Formação de Brigada de Incêndio.

Referência bibiográfica:

Número de referência ABNT NBR 14276:2006

IT17/2014 - Atualizada pela Portaria nº CCB 009/600/2014 publicada no Diário Oficial do Estado, nº 084, de 08 de maio de 2014


+ Exibir Tudo

Como formar minha Brigada de Incêndio?

Devido a  necessidade de se padronizar a atividade da brigada de incêndio, desde a sua  denominação até a especificação de sua área de atuação, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)  elaborou a Norma Técnica NBR  14276 através do  Comitê  Brasileiro  de  Segurança  contra  Incêndio  (ABNT/CB-24),   pela Comissão de Estudo de Programa de Brigada de Incêndio  (CE-24:203:02). 

Através desta norma técnica foi instituída a instituída a IT17/2014 do Corpo de Bombeiros que aplica-se a todas as edificações ou áreas de risco, conforme o Decreto Estadual nº 56.819/11 - Regulamento de Segurança contra Incêndio das edificações e áreas de risco do Estado de São Paulo.


Referência bibiográfica:

Número de referência ABNT NBR 14276:2006

IT17/2014 - Atualizada pela Portaria nº CCB 009/600/2014 publicada no Diário Oficial do Estado, nº 084, de 08 de maio de 2014





+ Exibir Tudo

Como compor minha Brigada de Incêndio?

A composição da brigada de incêndio de cada pavimento, compartimento ou setor é determinada pela Tabela A.1, da IT17/2014 que leva em conta a população fixa, o grau de risco e os grupos/divisões de ocupação da planta. 

Quando em uma planta houver mais de um grupo de ocupação, o número de brigadistas deve ser calculado levando-se em conta o grupo de ocupação de maior risco. O número de brigadistas só é calculado para cada grupo de ocupação se as unidades forem compartimentadas ou se os riscos forem isolados.


A composição da brigada de incêndio deve levar em conta a participação de pessoas de todos os setores.


Referência bibiográfica:

Número de referência ABNT NBR 14276:2006

IT17/2014 - Atualizada pela Portaria nº CCB 009/600/2014 publicada no Diário Oficial do Estado, nº 084, de 08 de maio de 2014


+ Exibir Tudo

Como selecionar os Brigadistas?

Os candidatos a brigadista devem atender preferencialmente aos seguintes critérios básicos: 

1 Permanecer na edificação durante seu turno de trabalho; 
2 Experiência anterior como brigadista; 
3 Possuir boa condição física e boa saúde; 
4 Possuir bom conhecimento das instalações, devendo ser escolhidos preferencialmente os funcionários da área de utilidades, elétrica, hidráulica e manutenção geral;
5 Ter responsabilidade legal;
6 Ser alfabetizado. 


NOTA: Caso nenhum candidato atenda aos critérios básicos relacionados, devem ser selecionados aqueles que atendam ao maior número de requisitos.


Referência bibiográfica:

Número de referência ABNT NBR 14276:2006

IT17/2014 - Atualizada pela Portaria nº CCB 009/600/2014 publicada no Diário Oficial do Estado, nº 084, de 08 de maio de 2014


+ Exibir Tudo

Como é organizada uma Brigada de Incêndio?

A brigada de incêndio deve ser organizada funcionalmente, como segue: a. brigadistas: membros da brigada que executam as atribuições previstas nas atribuições da brigada de incêndio
b. líder: responsável pela coordenação e execução das ações de emergência de um determinado setor/pavimento/compartimento. É escolhido dentre os brigadistas aprovados no processo seletivo; 
c. chefe da edificação ou do turno: brigadista responsável pela coordenação e execução das ações de emergência de uma determinada edificação da planta. É escolhido dentre os brigadistas aprovados no processo seletivo; 
d. coordenador geral: brigadista responsável pela coordenação e execução das ações de emergência de todas as edificações que compõem uma planta, independentemente do número de turnos. É escolhido dentre os brigadistas que tenham sido aprovados no processo seletivo, devendo ser uma pessoa com capacidade de liderança, com respaldo da direção da empresa ou que faça parte dela. Na ausência do coordenador geral, deve estar previsto no plano de emergência da edificação um substituto treinado e capacitado, sem que ocorra o acúmulo de funções.


Referência bibiográfica:

Número de referência ABNT NBR 14276:2006

IT17/2014 - Atualizada pela Portaria nº CCB 009/600/2014 publicada no Diário Oficial do Estado, nº 084, de 08 de maio de 2014




+ Exibir Tudo

Quais são os procedimentos básicos de emergências?

1 Alerta: Identificada uma situação de emergência, qualquer pessoa pode alertar, através dos meios de comunicação disponíveis, os ocupantes e os brigadistas. 

2 Análise da situação: Após o alerta, a brigada deve analisar a situação, desde o início até o final do sinistro. Havendo necessidade, acionar o Corpo de Bombeiros e apoio externo, e desencadear os procedimentos necessários que podem ser priorizados ou realizados simultaneamente, de acordo com o número de brigadistas e com os recursos disponíveis no local. 


3 Primeiros socorros: Prestar primeiros socorros às possíveis vítimas, mantendo ou restabelecendo suas funções vitais com SBV (Suporte Básico da Vida) e RCP (Reanimação Cardiopulmonar) até que se obtenha o socorro especializado. 


4 Corte de energia: Cortar, quando possível ou necessário, a energia elétrica dos equipamentos da área ou geral. 


5 Abandono de área: Proceder ao abandono da área parcial ou total, quando necessário, conforme comunicação preestabelecida, removendo para local seguro, a uma distância mínima de 100 m do local do sinistro, permanecendo até a definição final. 


6 Confinamento do sinistro: Evitar a propagação do sinistro e suas consequências. 


7 Isolamento da área: Isolar fisicamente a área sinistrada de modo a garantir os trabalhos de emergência e evitar que pessoas não autorizadas adentrem ao local.


8 Extinção: Eliminar o sinistro restabelecendo a normalidade. 


9 Investigação: Levantar as possíveis causas do sinistro e suas consequências e emitir relatório para discussão nas reuniões extraordinárias, com o objetivo de propor medidas corretivas para evitar a repetição da ocorrência.


Referência bibiográfica:

Número de referência ABNT NBR 14276:2006

IT17/2014 - Atualizada pela Portaria nº CCB 009/600/2014 publicada no Diário Oficial do Estado, nº 084, de 08 de maio de 2014


+ Exibir Tudo

Como treinar minha Brigada de Incêndio ?

Programa do curso de brigada de incêndio Conforme norma técnica IT17/2014 os candidatos a brigadista, selecionados conforme o item 5.2,  devem frequentar curso com carga horária mínima definida na Tabela B.2, abrangendo as partes teórica e prática, conforme Tabela B.1 da referida norma.


Procure uma escola com profissionais qualificados e com instalações apropriadas para treinar seus brigadistas. 


Exija que estas possuam a Certificação da ABNT e as aprovações da CETESB, AVCB e Vigilância Sanitária.


Referência bibiográfica:

Número de referência ABNT NBR 14276:2006

IT17/2014 - Atualizada pela Portaria nº CCB 009/600/2014 publicada no Diário Oficial do Estado, nº 084, de 08 de maio de 2014


+ Exibir Tudo